Translate

Pessoas Inteligentes

sexta-feira, 1 de abril de 2016

A Epístola aos Romanos (Lição 01 - 2º Trimestre - EBD) - Classe Adultos.

INTRODUÇÃO
I – AUTOR, LOCAL, DATA E DESTINATÁRIOS
II – FORMA LITERÁRIA, CONTEÚDO E PROPÓSITO
III – VALOR ESPIRITUAL
CONCLUSÃO


A mais famosa epístola do apóstolo Paulo foi escrita aproximadamente entre 57 e 58 d.C., com uma margem de erro de um ou dois anos, de acordo com o estudioso do Novo Testamento, D. A. Carson. O autor é Paulo, embora tenha sido Tércio quem escreveu a epístola, o amanuense do apóstolo (Rm 16.22). A carta foi destinada aos crentes, judeus e gentios, que constituíam a igreja em Roma (Rm 1.7,15). A maioria dos estudiosos concorda que havia pelo menos dois propósitos na epístola paulina: (1) missionário - O apóstolo se apresentaria à igreja para remover as suspeitas contra ele levantadas pelo partido judaico de Jerusalém a fi m de impedi-lo a chegar a Europa, na Espanha (2) Doutrinário - Expor os direitos e privilégios da salvação tanto dos judeus quanto dos gentios, pois, em Cristo, não haveria mais judeu nem grego, mas uma pessoa somente nascida de novo em Jesus Cristo (Rm 14.1-10). Por isso, o principal texto da Epístola aos Romanos é porque nele se descobre a justiça de Deus de fé em fé, como está escrito: Mas o justo viverá da fé” (1.17).

Caro professor, estude bons comentários do Novo Testamento. Associe o conhecimento adquirido a partir do seu estudo introdutório, e sob a perspectiva da visão do todo da carta de Paulo, com o auxílio da

A EPÍSTOLA DE ROMANOS ESTÁ ESTRUTURADA EM TRÊS GRANDES ÁREAS:
 Área 1: Argumentos da Justificação pela fé (1-8)  
Área 2: A relação de Israel com o Plano de salvação (9- 11)
Área 3: Questões práticas da vida cristã
(12-16)
1. Prefácio e Saudação (1.1-7);
2. Paulo deseja ver os romanos (1.8-15);
3. Assunto: a justiça pela fé (1-16-17);
4. A depravação dos gentios (1.18-32);
5.  Os judeus e a justiça de Deus (2.1-3.8);
6. A universalidade do pecado e o poder da graça de Deus (3.9-6.20);
7. Nova vida e as primícias do Espírito (7.1-8.39).
1. A tristeza de Paulo pela incredulidade de Israel (9.1-5).
2- A liberdade da graça (9.6-33).
3- A rejeição dos judeus à justiça de Deus cap.10;
4. O futuro de Israel (11.1-32)
5- Hino de adoração (11.32-36)

1. Consagração, amor e fervor no
uso dos dons (12.1-21.
2- Submissão à autoridade (13.1-7).
3 - O amor ao próximo, vigilância e pureza (13.8-14).
4- Tolerância, liberdade e amor (cap.14);
5- O exemplo de Cristo (15.1-13).
6-O apostolado, o propósito e as recomendações de Paulo (15.14-16. 27). 
Fonte: Revista Ensinador Cristão, Ano 17 - nº 66 – abr/mai/jun de 2016.

As + "Como Águia me Renovo"