Translate

Pessoas Inteligentes

quarta-feira, 2 de dezembro de 2015

O preparo e desempenho do professor da ED

A. O preparo do professor 

1. O professor e sua vida espiritual: O amor do professor deve ser devotado e irrestrito ao Senhor, a quem serve (Dt 11.13). “E siga-me”, Mt 16.24 – disse Jesus a Seus discípulos. Ele não disse primeiramente “sirva-me”, mas “siga-me”. Em Lucas 15.29,30, o irmão do filho pródigo, queixoso, primeiramente disse a seu pai: “Sirvo-te há tanto tempo”. Ele não disse primeiro “Amo-te há tanto tempo”. Em 2 Timóteo 2, onde temos o perfi l do bom obreiro sob diversas e variadas fi guras, ele é primeiramente chamado “fi lho”(v.1), e no final é chamado ”servo” (V.24). 

2. O professor e o Espírito Santo na sua vida: 

Ele é habitado e possuído pelo Espírito Santo, a partir da conversão ( Jo 14.17). Idealmente, é batizado com Espírito Santo (Lc 24.49; At 1.5; 2.4). Ele deve permanecer cheio do Espírito Sanro (1Co 2.4; Ef 5.18); Ele deve buscar os dons do Espírito Santo, inclusive o de ensinar (1Co 12.28,29; Rm 12.6,7). 

3. O professor e sua autodisciplina: 

a) A autodisciplina da devoção pessoal diária (Sl 5.3; 55.17; Mc 1.35 [Jesus]; Lc 5.16 [Jesus]). A oração (At 6.4; Ef 6.18) - Jesus não ensinou Seus discípulos a pregar, mas ensinou-os a orar, mostrando assim que é pela oração e intercessão perante Deus que a autêntica mensagem da pregação e a do ensino são-nos concedidas por Ele. O jejum bíblico é um grande aliado da oração. Em Mateus 6.16,17, Jesus disse “Quando jejuardes”, e não “se jejuardes”. Devemos também ler e estudar devocionalmente a Palavra de Deus (Dt 4.6; Sl 19.7; 2 Tm 3.16; Js 1.8) e observarmos a autodisciplina do tempo (Ef 5.16; Cl 4.5; 1 Co 7.21b).
b) A autodisciplina do nosso “eu”: São os nossos sentido físicos; instintos; temperamento; caráter;fala; pensamento; sentimentos; afetos; vontade; apetites; escolhas; decisões etc (Pv 25.28; 16.32; Fp 4.8; 1 Co 2.16 - “Mas nós temos a mente de Cristo” -; Gl 5.22 - “temperança”). 
c) A autodisciplina abrange onosso corpo (1Co 9.27) - Nosso corpo deve ser sempre nosso servo, mas nunca o nosso patrão. 
d) A autodisciplina no lazer - Leia Êxodo 24.11; 1 Crônicas 29.22; João 10.23 (Jesus); Marcos 6.31 (Jesus) e Atos 17.23 (Paulo).

B. O preparo da lição bíblica pelo professor da Escola Dominical

1. O professor necessita de conhecimento espiritual: 

Quanto a conhecimento secular do professor, isso já está implícito, subentendido. Vejamos o conhecimento espiritual do professor. 
a) O conhecimento de Deus (1Cr 28.9; Os 6.3; 2 Pe 3.18; Jo 14.23).
b) Conhecimento da matéria que o professor ensina - A Bíblia (2Tm 2.15). Campos prioritários do professor da Escola Dominical no conhecimento da Bíblia (Bibliologia), Doutrina, Evangelização e Missões, Ministério, Hermenêutica e Exegese, Apologética, Antropologia Bíblica, Tipologia Bíblica, História, Geografia e Cronologia Bíblicas.
c) Também conhecimento do aluno pelo professor: psicopedagogia. 
d) Conhecimento de métodos e técnicas de ensino (Cf. Is 30.4; At 18.25 [Apolo]; Mt 28.20 - “Ensinando-as”, no grego). 
e) Conhecimento e manejo oral e escrito do vernáculo. 
f) Conhecimento de matérias e assuntos afi ns à Bíblia (Cf. At 26.24; 17.18,38; Tt 1.12 [Paulo]).

2. O professor necessita de sabedoria espiritual:

a) Sabedoria pressupõe conhecimento, que é, em resumo, um acúmulo de informações; um banco de dados; um estoque de informações. O verdadeiro conhecimento é a “matéria prima” da sabedoria, que é a aplicação sensata, correta e judiciosa do conhecimento, nos casos, situações e circunstâncias da vida e suas atividades.
b) Sabedoria é discernimento acurado entre o bem e o mal; entre o que é certo e o que é errado moralmente. É tirocínio; é maturidade em tudo na vida; é prudência. É equilíbrio; é bom-senso. É escolher sempre o bem e rejeitar sempre o mal. 
c) Onde e como podemos obter a sabedoria divina, a “sabedoria do alto”, como diz a Bíblia em Tiago 3.13-17? 
• Pela Palavra de Deus ( Sl 19.7; 119.98). • Pelo temor do Senhor (Sl 110.10; 1Rs 3.12; Dn 2.21).
• Pelo Espírito Santo (Is 11.2; Êx 31.3; 35.31; Jo 14.26; 16.13; 1 Co 2.10,13; Ef 1.17). 
• Pelos servos de Deus que ensinam a Palavra de Deus (Ef 4.11-14; Rm 12.7; 1Co 12.8,28,29; 2Tm 2.2). 
• Pela companhia dos sábios; isto de várias maneiras (Pv 13.20).
O conhecimento e a sabedoria tão somente naturais, seculares, humanos, levam ao afastamento de Deus e ao desvio espiritual (Is 47.10; Jr 4.22; Tg 3.13-15; veja os exemplos dos coríntios e dos atenienses). 

3. O estudo da lição semanal da EBD pelo professor:

Material de estudo da lição 
a) A Bíblia - Leitura e estudo da Bíblia. E não somente o texto bíblico da lição, mas também o de todo o seu contexto. E tudo com muita oração. 
b) A revista do aluno, e também a do professor.
c) O estudo da lição ministradosemanalmente na reunião semanal de professores da EBD. Toda Escola Dominical organizada deve semanalmente realizar esse estudo, que é realizado quase sempre aos sábados. 
d) Livros diversos, de consulta e referência sobre o assunto da lição. Mas... Bons livros! 
e) Apontamentos e notas do próprio professor, feitos anteriormente.
f) Revistas anteriores da EBDsobre o assunto em estudo. 
g) Ilustrações, desenhos, mapas, fi guras, gráfi cos, visuais etc, podem lançar muita luz sobre o assunto em estudo.
h) Oração, oração e mais oração; antes, durante e após o trabalho efetuado pelo professor (que não é somente o preparo e o ensino da lição).


C. O desafio do professor da Escola Dominical

Em 2 Timóteo 2.2,3, estão vários desafi os relacionados ao trabalho do Senhor:”E o que de mim, entre muitas testemunhas, ouviste, confi a-o a homens fi éis, que sejam idôneos para também ensinarem os outros.” 

1. O desafio do ensino da Palavra: “O que (= aquilo que)”.

• O ensino formativo da palavra (Mt 28.19 - “Ide e fazei discípulos”). 
• O ensino informativo da Palavra (Mt 28.20 - “Ensinando-as a guardar todas as coisas que eu v os tenho mandado”). É o ensino didático, da doutrina, ao povo. “Aquilo que de mim ouviste”. Vemos aqui a total convicção de Paulo quanto aquilo que ele ensinava. Tens tu esta convicção quando ensinas na Casa de Deus?
• Se ensinarmos a Palavra de Deus, sem dúvida colheremos os seus abençoados frutos ( Is 55.11;Sl 126.6 - “Sem dúvida”). • Se ensinarmos nossas próprias idéias, colheremos somente palha oca e seca, e muita confusão, perturbação e frustração.
• 1 Coríntios 4.6 - “Para que em nós aprendais ir além do que está escrito”. 
• O professor de Escola Dominical deve ensinar tão bem a lição bíblica do dia, como o professor secular ensina a sua matéria: Português, Matemática, Física, Química, Biologia, Informática etc. 

2. O desafio do aprendizado contínuo do professor: “De mim ouvistes” (2Tm 2.2)

• O aprendizado espiritual (e também o secular) do mestre deve ser constante. 
• Fontes de aprendizado das Sagradas Escrituras (ver essas fontes nos assuntos anteriores). 
• A Casa do Senhor é também uma fonte de aprendizagem para o crente que a frequenta fielmente (Sl 27.4 - “e aprender no seu templo”). Infelizmente, em certas igrejas por aí, o crente em lugar de aprender mais coisas de Deus, desaprende o que já sabe de bom, devido ao desmando, a desordem, a irreverência, o secularismo dentro do templo; enfim, a falta de temor de Deus e da sua santa presença. 

Autor: ANTONIO GILBERTO (Mestre em Teologia; Licenciado em Pedagogia e Letras; Psicólogo; Membro da Academia Evangélica de Letras; Membro da Casa de Letras Emílio Conde; Autor do livro Manual da Escola Dominical, A Escola Dominical entre outro, todos editados pela CPAD; Comentarista da Revista Lições Bíblicas para Jovens e Adultos da CPAD; Consultor Doutrinário e Teológico da CPAD; Membro da junta diretora da Global University, em Springfield – Missouri/EUA.)

Fonte: Lições Bíblicas 

As + "Como Águia me Renovo"